Estrutura e Dinâmica do Mercado de Trabalho

Estrutura e Dinâmica do Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho é um dos principais mecanismos alocativos da sociedade capitalista. Ele atribui pessoas a posições na estrutura produtiva e ajusta  recompensas monetárias em função das qualificações diferenciais dessas pessoas, dos postos de trabalho existentes, da riqueza relativa dos países, das conjunturas econômicas etc. Mas contrariamente ao sonho de certa interpretação corrente, esse mecanismo não é, nem nunca foi, automático, ou meramente econômico. O mercado de trabalho é e não é um mercado. Ele o é, na medida em que a força de trabalho é efetivamente encontrada para ser trocada por um salário, sendo esta remuneração, por seu lado, o principal sinalizador dessa relação de troca específica. Mas o salário não é determinado no próprio mercado, como resultado da lei da oferta e da procura. Sindicatos definem pisos salariais de categorias específicas; governos definem salários mínimos; alguns instituíram um seguro desemprego, que permite ao trabalhador retardar sua capitulação a um emprego qualquer, com isso condicionando o efeito da oferta e da procura; governos definem idade mínima para se começar a trabalhar e idade máxima para se deixar o mercado de trabalho, o que também reduz a pressão da oferta sobre o preço do trabalho etc. Além disso, os estados de bem estar, ao assumirem parte dos custos de reprodução da força de trabalho via políticas sociais, também desmercantilizam  a relação de troca que se estabelece no mercado de trabalho, que por isso mesmo é uma relação ao mesmo tempo econômica, política e social, e isso de forma inextricável. O mercado de trabalho é um mercado politizado, embebido nas relações sociais, constituído por elas enquanto uma relação de poder. Esta linha de pesquisa inquire tanto a dinâmica propriamente econômica dos mercados de trabalho (sua estrutura, suas mudanças, suas instituições, seus problemas) quanto as oportunidades de vida abertas (ou fechadas) por esse mesmo modo de funcionamento. Interessa-se por três subtemas principais: (i) Estrutura e dinâmica do mercado de trabalho, com ênfase na estrutura de ocupações, taxas de ocupação, desemprego etc., bem como em suas mudanças ao longo do tempo; (ii) Trajetórias ocupacionais no mercado de trabalho, com ênfase nas oportunidades dos jovens, nos mecanismos de inserção ocupacional, nas oportunidades de vida associadas à ocupação; (iii) Instituições de regulação do mercado de trabalho, aqui incluídas a legislação trabalhista e a institucionalidade responsável por dar-lhe efetividade.

Projetos em andamento


Trabalho de Imigrantes Irregulares no Exterior: Uma Qualidade de Vida Melhor?
Marina Tomassini

A pesquisa pretende investigar o processo de reinserção de jovens brasileiros retornados do exterior no mundo de trabalho. Serão realizadas duas etapas: a primeira consiste em uma revisão bibliográfica do fenômeno do retorno migratório internacional relacionada a uma apresentação de dados estatísticos, com destaque para a análise dos dados dos últimos três Censos do IBGE 1991, 2000 e 2010. A segunda etapa se refere a uma pesquisa realizada no Núcleo de Informação e Apoio a Trabalhadores Retornados do Exterior (NIATRE), através de entrevistas com jovens retornados no último ano e acompanhamento de sua busca por trabalho.

Declínio da Sociedade Salarial no Brasil
Gustavo Bezerra

As chamadas “sociedades salariais” fizeram da expansão das relações de assalariamento um mecanismo de distribuição do produto social da acumulação capitalista e o principal dispositivo da coesão social. Os dois principais expedientes sobre os quais esse tipo de sociedade teria se assentando seriam a organização dos trabalhadores por grupos homogêneos e o “Estado Social”. A pesquisa tem por objetivo discutir o relativo declínio da sociedade salarial no Brasil, abordando a proliferação do empreendedorismo, mudanças no perfil da atuação do Estado Social e as alterações no perfil da ação sindical.

Produtos


Ensaios de sociologia do mercado de trabalho brasileiro
Adalberto Cardoso
Fundação Getúlio Vargas / 2013

Juventude, trabalho e desenvolvimento: elementos para uma agenda de investigação 
Adalberto Cardoso
Caderno CRH / 2013 

Daslu: Ascensão e queda de uma empresa do setor de luxo no Brasil
Cecília Soares
Ponto de Vista / 2013

Transições ocupacionais e mercados de trabalho intermetropolitanos: os casos de Rio de Janeiro e São Paulo
Adalberto Cardoso
Dados / 2012

Mercados de Trabalho e Oportunidades: Reestruturação econômica, mudança ocupacional e desigualdade na Inglaterra e no Brasil
Adalberto Cardoso, Kate Purcell, Nadya Araujo Guimaraes e Peter Elias
Fundação Getúlio Vargas / 2008

Estudo sobre o Concurso Nacional para a Magistratura do Trabalho
Eduardo Augusto Lobato e Renata Versiani Scott Varella
Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 3. Região / 2008

Estudo sobre o controle da legalidade e constitucionalidade das normas dos Regimentos Internos dos Tribunais
Eduardo Augusto Lobato e Renata Versiani Scott Varella
Revista do Tribunal Regional do Trabalho da 3. Região / 2008

As Normas e os Fatos: Desenho e Desempenho das Normas de Regulação do Mercado de Trabalho no Brasil
Adalberto Cardoso e Telma Lage
Fundação Getúlio Vargas / 2007

Mercadores Ambulantes na Zona Sul do Rio de Janeiro: Subjetividades e Economia Política
Gustavo Bezerra
Conselho Latino-americano de Ciências Sociais / 2005

A Inspeção do Trabalho no Brasil
Adalberto Cardoso e Telma Lage
Revista Dados / 2005